sábado, 23 de outubro de 2010

Jane Austen e Eu

Olá pessoal, essa é a minha primeira postagem nesse blog portanto achei correto contar a minha história com Jane Austen.
Como tantos outros fãs, conheci Jane Austen, não por meio de um livro mas de um filme, e foi é claro "Orgulho e Preconceito" (2005) Foi no dia 09 de junho de 2007, eu sei por que anotei no meu diário, as palavras que usei para descrevê-lo foram: "Muito lindo e apaixonante", o assisti 3 vezes em um fim de semana.

Mesmo sem conhecer o livro eu achei a estória e principalmente os personagens muito reais, tem uma cena em especial que eu me identifiquei muito que é quando a Lizzy e a Jane estão conversando embaixo das cobertas depois do baile em que conheceram o Sr. Bingley e o Sr. Darcy, toda a empolgação e intimidade das irmãs, é muito real. Consegui até sentir o friozinho na barriga que a Jane devia estar sentindo depois de conhecer um cavalheiro que era tudo que um jovem deve ser e que ainda a tirou para dançar mais de uma vez, alguém aí acha que ela dormiu aquela noite? Eu duvido, já passei por algo assim e a cena foi  bem parecida lá em casa e eu não dormi!
Continuando...Nos extras do filme aprendi algumas coisas sobre a Jane, mas achei que seus livros não estivessem disponíveis em português. Ano passado por indicação de uma amiga eu assisti "Amor e Inocência", aí decidi que teria que ler os livros dela, mas foi só este ano com a chegada da internet aqui em casa que eu fiquei sabendo que os livros dela estavam disponíveis no brasil e em português!
Comecei lendo "Emma", amei e amei tanto que depois de ler "Mansfield Park" ( que foi o próximo) eu li "Emma" novamente,  e nesse meio tempo ainda comprei o filme ( de 1996 com Gwyneth Paltron, Jeremy Northam) que é muito fofo. Os outros eu e minha irmã compramos de uma vez só, li nessa seqüência: "Persuasão", "Orgulho e Preconceito", "Abadia de Northanger" e "Razão e Sensibilidade". Entre "Emma" e o último não se passaram dois meses.
É incrível como as mulheres criadas por Jane Austen são reais, tanto que qualquer mulher consegue facilmente entender suas atitudes, pensamentos e sentimentos, desde os mais nobres até os mais mesquinhos. Quem já não se sentiu oprimida como Fanny Price? Ou frustrada e arrependida por algo que deixou de fazer no passado como Anne Eliott?Quem Já não teve suas rivalidades por causa de inveja ou ciúmes como a Emma tinha com Jane Fairfax? E afinal mesmo que seja só na adolescência, todas já tivemos um pouco de Mariane Dashwood, sonhadora romantica e irracional...Mas o que todas queremos ou a maioria é ser firmes determinadas e inteligentes como Elizabeth Bennet, e principalmente encontrar um Sr. Darcy por aí.
Apesar das mulheres serem tão reais não sei se posso dizer o mesmo dos homens, calma não estou criticando a Jane, só que como mulher não conseguimos compreender a mente masculina, e acho que até Jane Austen deve ter tido essa limitação, assim acho que para criar o Sr. Darcy o Sr. Knigtley e todos os maravilhosos cavalheiros de seus livros Jane só fez o que todas nós já fizemos algum dia: sonhamos com o príncipe encantado, e imaginamos que fosse real. Mas isso tudo não é nada mais do que uma opinião talvez a Jane os conhecesse melhor do que eu, essa idéia é até mais agradável assim posso continuar acreditando que o Sr. Darcy existe em algum lugar...

3 comentários:

THxP disse...

Eu ainda estou começando a ler Orgulho e Preconceito, vi o filme várias vezes e me apaixonei, daí esses tempos comecei a ler pela net, mas em pouco tempo ganhei o livro, logo já estou pesquisando outros livros e filmes, e bem adorei o blog!
E também, percebe que realmente as obras de Jane são eternas, pois vi que muitos filmes são baseados nas maravilhosas histórias delas!
Hehe, e essa história de encontrar o Sr. Darcy por aí, bem eu ainda acredito, pois se formos firmes e corrermos atrás do que queremos, é provável, que, algum dia, possamos encontra-lo!
Ah, Adorei o blog!
bjs'

Tully+Israel=Raquel+Miguel disse...

Esse post já faz tempo,faz mesmo assim vou comentar...Porque tu partilha da mesma boa opinião sobre o filme Emma, com Gwyneth Paltrow e JEremy Northan...Esse foi meu primeiro, assisti em 96 mesmo, amei desde a primeira vez, mas não sabia que era adaptação de um livro...Esse ano, de 2012, remexendo nos meus arquivos pessoais cerebrais (sim, isso pode acontecer), eu encontrei lá no fundinho as boas sensaçõe que esse filme me evocava...Procurei ele pela internet, achei, baixei, e bah, decorei as falas...Ai, achei o livro, pra baixar também...Li e ameiiiii...E desse achei os outros. O próximo que eu li foi Orgulho e Preconceito, e foi amor a primeira leitura, certamente...Amoooo esse livro, essa história maravilhosa, esses heróis e heroínas que são tão contraditórios e incríveis...Mas,quando assisti ao filme...Sem explicação...Não passo um dia sem assisti-lo...Pra mim é poesia feita imagem...Sou apaixonada pelo Mr. Darcy assumidamente (meu marido que não me ouça), mas como não se apaixonar pelo Matthew/Darcy????? Enfim...Jane era uma mulher amante das relações humanas, tão complicadas...amante dos grandes amores e sedenta por viver um...Assim como todas nós...Amo Jane Austen, e sua inteligência...

Jady Sampaio disse...

Eu conheço Jane Austen desde os oito anos, quando minha mãe comprou o filme Orgulho e Preconceito e nos apaixonamos. Enquanto as outras meninas sonhavam com princesas Disney, eu sonhava em ser Elizabeth, passear por Pemberley, conhecer um Sr. Darcy.
Assistíamos o filme ao menos uma vez por mês, e me lembro de decorar falas com palavras que eu nem sabia o significado...
Com o passar dos anos, me interessei por conhecer o livro. Li e me apaixonei ainda mais. Logo depois comprei Razão e Sensibilidade, A Abadia de Northanger, e comecei a procurar as edições bilíngues. Surpresa! As traduções eram horríveis se comparadas ao original, até mesmo pelo inglês médio que eu sabia! Foi quando comprei Emma no original, e hoje em dia aprendo inglês com uma das melhores escritoras de todos os tempos c:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...