sábado, 30 de outubro de 2010

Lady Susan - Carta 7 em Português

Lady Susan a Sra. Johnson
Churchill

Minha querida Alícia. Foi bondade sua mandar notícias de Frederica. Sou muito grata por esse sinal de sua amizade, mas como não tenho dúvida do calor de sua amizade, estou longe de exigir um sacrifício tão pesado. É uma garota estúpida e nada tem a recomendá-la. Não é do meu direito, ordenar que você perca um só minuto do seu tempo, mandando busca-la para Edward Street, já que cada visita prejudicará suas horas de educação, algo que espero seja sua principal ocupação enquanto estiver com a Srta. Summers. Quero que cante e toque com o mínimo de bom gosto e consiga uma boa dose de confiança, já que herdou os meus dedos e uma voz tolerável. Eu estava muito desejosa em meus anos de infância, porém nunca fui forçada a aplicar-me a nada, sendo assim, faltam-me hoje as habilidades necessárias atualmente, para completar uma mulher bonita. Não que eu seja uma defensora da atual tendência de adquirir um conhecimento perfeito de todas as línguas, artes e ciências. 
É uma perda de tempo ser amante de francês, italiano e alemão: música, canto e desenho, etc, farão com que uma mulher ganhe alguns aplausos, mas não adicionará um amante à sua lista - a graça e a forma, afinal, são de maior importância. Não tenho a intenção portanto, que o conhecimento de Frederica vá além do superficial e me orgulho que fique na escola tempo suficiente para aprender o necessário.
Espero vê-la casada com Sir. James em um ano, e você sabe que certamente minha esperança é bem fundamentada. Além disso, a escola deve ser algo humilhante para uma menina na idade de Frederica. É melhor não convidá- la mais, pois desejo que sua situação seja o mais desagradável possível, já que a qualquer momento Sir James poderá renovar seu pedido em poucas linhas. Enquanto isso, eu me preocupo para que você evite a aquisição de qualquer outro compromisso, quando ele vier para a cidade. Convide-o para sua casa de vez em quando e converse sobre Frederica para que ele não a esqueça.
Ao todo, elogio meu próprio comportamento nesse assunto, e o considero uma elegante combinação de circunspeção e de ternura. Algumas mães teriam insistido para que suas filhas aceitassem uma oferta tão boa na primeira proposta, mas eu não ficaria satisfeita em que Frederica realizasse um casamento que seu coração rejeita.  Em vez de adotar uma atitude tão grave, eu simplesmente proponho fazer disso seu próprio desejo, através da criação de todos os tipos de desconfortos, até que ela o aceite.
Mas, já falamos o suficiente desta menina cansativa.
Você deve se perguntar como eu passo meu tempo aqui. Bem, a primeira semana foi insuportavelmente chata. No entanto, as coisas melhoram. O grupo aumentou com a presença do irmão da Sra. Vernon, um belo rapaz que promete divertir. Há algo nele que me interessa, uma espécie de brincadeira e familiaridade que vou ensiná-lo a corrigir. É animado e parece inteligente e, quando tiver conquistado maior respeito que os ofícios  de sua irmã haviam implantado, poderá ser um flerte agradável. Fazer com que um espírito insolente e predisposto a odiá-la reconheça sua superioridade, proporciona um prazer requintado. Eu já o desconcertei com minha reserva calma e me delicio em rebaixar o orgulho destes pretensiosos de Couses, a fim de convence-lo que a cautela de sua irmã, a Sra Vernon, não tem fundamento, e persuadir Reginald a crer que tenho sido caluniada. Este projeto servirá, pelo menos, para divertir-me, e para evitar a terrível dor de estar longe de você e de todos os a quem amo.
Atenciosamente,
Susan. Vernon

Autora: Jane Auste 
Tradução de: Bruna e Adriana Tavares 

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...