terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Lady Susan - Carta 16 em Português

Lady Susan a Sra. Johnson
Churcill
Nunca fiquei tão abalada em toda a minha vida, minha querida Alícia, do que com a carta que recebi da Srta. Summer esta manhã. Aquela menina terrível tentou fugir. Eu não tinha noção de sua natureza perversa até então. Parecia ter toda a brandura dos Vernon, mas ao receber a carta em que eu declarei minha intenção sobre Sir James, ela realmente tentou fugir, pelo menos, não encontro outro motivo para ela ter feito isso.
Ela pretendia, eu suponho, para ir para junto dos Clarkes em Staffordshire, pois ela não tem outros conhecidos. Mas ela deve ser punida, terá de aceitá-lo. Enviei Charles à cidade para resolver a situação se puder, pois eu não quero, de forma alguma, ela aqui. Se Miss Summers não quiser mantê-la, você deve me achar outra escola, a menos que possamos fazê-la casar imediatamente.
A Srta. Summer escreveu dizendo que não conseguiu obter nenhuma informação da jovem, para atribuir qualquer causa a seu comportamento extraordinário, o que confirma para mim, a minha prévia explicação do assunto. Frederica é muito tímida eu acho, e me teme demais para contar algo. Mas a bondade de seu tio deve obter algo dela, e não tenho receio disso. Eu confio que sou capaz de fazer minha história tão boa quanto à dela. Se sou vaidosa de algo, é da minha eloquência. Consideração e estima, resultam do domínio da linguagem assim como a admiração depende da beleza, e aqui tenho oportunidade suficiente para exercitar meu talento já que a maior parte do meu tempo é gasto com conversas.
Reginald não se sente confortável a menos que estejamos a sós, e quando o tempo permite, caminhamos entre os arbustos por horas juntos. Eu gosto muito dele no geral, ele é inteligente e tem muito a dizer, mas ele é às vezes impertinente e incômodo. Há uma espécie de delicadeza ridícula nele, pois exige uma explicação completa de tudo o que ouve a meu respeito e nunca está satisfeito até descobrir o início e o fim de tudo. Isto é um tipo de amor, mas confesso que não é recomendável particularmente a mim. Prefiro infinitamente o espírito liberal de Mainwaring, que se impressiona com a profunda convicção de meus méritos e está convencido de que tudo o que faço está certo, e vejo com um certo grau de desprezo as fantasias inquisitivas e indecisas desse coração que parece sempre debater a razoabilidade das suas emoções.
Mainwaring é, de fato, além de toda comparação, superior à Reginald. Superior em tudo, menos na possibilidade de estar comigo. Pobre indivíduo! Ele é muito ciumento, o que não lamento, pois sei que não há base melhor para o amor.
Ele tem insistido em vir para a região e alojar-se em um lugar secreto, mas eu proibi qualquer coisa do gênero. Não há justificativa para aquelas mulheres que esquecem o que é esperado delas e não levam em consideração o que o resto mundo pensa.
Sempre sua
Susan Vernon

Autora: Jane Austen
Tradução de: Bruna Tavares

2 comentários:

.: Bah :. disse...

Adorei seu blog. Visitarei mais vezes.
Abraços.

mara* disse...

Um mundo contido para as mulheres, um mundo de casamentos arranjados que Jane retratou de forma satírica e humorística. Uma mulher notável de fina ironia em tempos difíceis para as mulheres.

Um abraço.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...